A Origem da Bíblia: O Cânon, Os Manuscritos

A Origem da Bíblia: O Cânon, Os Manuscritos

 

 

 

EM CONSTRUÇÃO

 

a

 

Embora eu seja religioso, o objetivo deste estudo NÃO é discutir crença, MAS sim apenas apresentar uma abordagem científica. A questão da crença é pessoal.

Embora eu tenha a minha crença na Bíblia, é necessário reconhecer os problemas textuais da Bíblia, por exemplo, em Mateus 27, verso 9, o narrador atribui uma profecia a Jeremias, mas tal profecia está registrada em Zacarias (Mateus 27:9,10 - Zacarias 11:12,13).

 

(1) Por que a Bíblia Católica, a Bíblia Protestante e outras Bíblias são diferentes?

(2) Quais são os manuscritos antigos da Bíblia? 

(3) Quais são as principais Variantes Textuais da Bíblia?

(4) Quais são as fontes históricas antigas que mostram a origem da Bíblia?

Na Bíblia em si, não existe nenhuma passagem que mostre quais são os livros que compõem a Bíblia, mas vamos ver isso mais adiante.

A palavra BÍBLIA é uma palavra grega que significa "livros", no plural.

Ou seja, a Bíblia é composta por uma LISTA de livros. Essa LISTA é tradicionalmente chamada de CÂNON. 

O Antigo Testamento Protestante é igual ao Antigo Testamento Judaico Atual e como esse cânon tem como evidência um texto judaico antigo, chamado Baba Batra, do século II d.C., (1) por um lado, há quem entenda que essa evidência seja suficiente para mostrar que o cânon que Jesus e os apóstolos utilizavam era igual ao do Antigo Testamento Judaico Atual, MAS, (2) por outro lado, há quem entenda que NÃO há como ter certeza sobre isso. Vamos ver isso daqui a pouco.

 

Esse texto judaico antigo chamado Baba Batra é um texto do tipo BARAITA. A palavra aramaica "baraita" significa "externo", ou seja, trata-se de um texto que NÃO havia sido incluído na LEI ORAL judaica, conhecida como Mishná (McDONALD, 2013, p. 81) e, além disso, existe outro texto judaico antigo que faz parte da Lei Oral, a Mishná, no qual o rabino Judá diz que havia divergência se Eclesiastes (Cohélet) era sagrado e o Rabino Yose diz que havia divergência se Cantares era sagrado.

 

ESTER, CANTARES, ECLESIASTES

Por exemplo, o doutor Frederick Bruce diz que, até então, não existem evidências suficientes para afirmar que Jesus e os apóstolos considerassem os livros de Ester, de Eclesiastes e de Cantares como sendo Escrituras canônicas (BRUCE, 2011, p. 39,40).

Conforme o doutor Craig Alan Evans, baseando-se pelas fontes históricas que possuímos, (1) por um lado, NÃO é possível saber com exatidão qual era o cânon aceito por Jesus, (2) por outro lado, é possível deduzir quais livros eram importantes para Jesus.

De acordo com Mateus, Marcos e Lucas (sinóticos), Jesus refere-se direta ou indiretamente aos CINCO livros do Pentateuco, se refere aos profetas Isaías, Jeremias, Ezequiel e também aos profetas Oseias, Joel, Amós, Jonas, Miqueias, Sofonias, Zacarias e Malaquias e se refere aos Salmos, provérbios, Jó, Daniel e Crônicas.

Não há registro de Jesus se referindo a Obadias, Naum, Habacuque e Ageu, nem a Cantares, Rute, Lamentações, Eclesiastes, Ester, Esdras e Neemias (McDONALD; SANDERS, 2019, p. 185).

De acordo com o doutor Timothy Lim, o apóstolo Paulo cita todos os livros da Bíblia Hebraica, exceto Cantares, Rute, Ester, Esdras e Neemias (LIM, 2013, p. 173).

Conforme o doutor Lee McDonald, no Novo Testamento, não encontramos citações de juízes, Rute, Ester e também Cantares, Ezequiel e Eclesiastes (McDONALD, 2013, p. 102,62).

 

 

 

LISTA DE NESTLE-ALAND

O doutor Daniel J. Harrington explica que, embora o Nestle-Aland forneça uma lista de passagens citadas ou aludidas, é necessário verificar até que ponto tais referências são de fato aludidas ou não (McDONALD; SANDERS, 2019, p. 200).

 

ESTER

 

O Novo Testamento de Nestle-Aland, na lista de textos citados ou aludidos, observa-se que nenhuma passagem de Ester é citada no Novo Testamento, mas sim talvez aludido.

Nestle-Aland menciona Ester 4, verso 3, que fala sobre os judeus vestindo pano de saco e cinza e relaciona com Lucas 10, verso 13, que fala de uma hipótese de os moradores de Crazim e Betsaida vestindo pano de saco e cinzas (Ester 4:3 - Lucas 10:13).

Também menciona Ester 5, versos 3 e 6 e Ester 7, verso 2, que falam do rei que ofereceu a metade do reino à Ester e relaciona com Marcos 6:23, em que Herodes ofereceu à filha de Herodias a metade do reino (Ester 5:3,6 - Ester 7:2 - Marcos 6:23). (NESTLE-ALAND, 2012, p. 850).

************

No Novo Testamento, fala-se sobre LEI, PROFETAS e SALMOS (Lucas 24:44,45) e também fala-se sobre LEI e PROFETAS (Mateus 7:12 - Romanos 3:21) , MOISÉS e PROFETAS (Lucas 24:27) (BRUCE, 2011, p. 31).

 

a

Jesus disse em Marcos 12:26: “Quanto à ressurreição dos mortos, não tendes lido no Livro de Moisés, no trecho referente à sarça, como Deus lhe falou: Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó?” Jesus afirma claramente que Moisés escreveu o relato da sarça ardente em Êxodo 3

Pedro, em Atos 3:22, comenta Deuteronômio 18:15 e credita Moisés como sendo o autor dessa passagem. 
Paulo, em Romanos 10:5, diz: "Moisés escreveu", e então passa a citar Levítico 18:5.

a

 

O profeta ISAÍAS é mencionado (Lucas 3:4 – Lucas 4:17 -21 – Atos 8:28).

O profeta JEREMIAS é mencionado (Mateus 2:17 - Mateus 16:14 - Mateus 27:9).

O profeta DANIEL é mencionado (Mateus 24:15).

O profeta Oseias (Romanos 9:25).

JÓ é mencionado (Tiago 5:11)

JONAS é mencionado (Lucas 1:17 - Lucas 11:30-32 - Mateus 12:39-41).

 

*ANTIGO TESTAMENTIO: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio; Josué, Juízes, Rute, I Samuel, II Samuel, I Reis, II Reis, I Crônicas, II Crônicas, Esdras, Neemias, (Tobias), (Judite), Ester, (Ester capítulo 10: de 4 a 16 e capítulos de 11 a 16), (I Macabeus), (II Macabeus), , Salmos, Provérbios, Eclesiastes, Cantares, (Sabedoria), (Eclesiástico/Sirácida), Isaías, Jeremias, Lamentações, (Baruque), Ezequiel, Daniel, (História de Suzana = Daniel 13), (Bel e o Dragão = Daniel 14), Oséias, Joel, Amós, Obadias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuque, Sofonias, Ageu, Zacarias, Malaquias.

a

 

 

ANTIGO TESTAMENTO: EVIDÊNCIAS ANTIGAS

 

SIRAC 44:1-50,24 (aprox. 180 a.C.) > Ezequiel, Jó e os Doze profetas (McDONALD, 2013, p. 67). A primeira evidência clara sobre a parte dos DOZE PROFETAS se encontra no escrito chamado JESUS BEN SIRA, também chamado de SIRAC (SANDERS, 2005, p. 107).

 

 

PRÓLOGO DE SIRAC (aprox. 130 a.C.) (McDONALD, 2013, p. 67).

1MACABEUS 1:56,57 (aprox. 100-64 a.C.) (McDONALD, 2013, p. 69).

2MACABEUS 2:13-15 (aprox. 104 e 63 a.C.) (McDONALD, 2013, p. 69).

4Q394-99 (aprox. 150 a.C.) (McDONALD, 2013, p. 69).

FÍLON, DA VIDA CONTEMPLATIVA 3:25-28 (aprox. 20-35 d.C.) (McDONALD, 2013, p. 71).

LUCAS 11:48-51 E MATEUS 23:34-35 (McDONALD, 2013, p. 72).

LUCAS 24:44 (aprox. 65-70 d.C.) (McDONALD, 2013, p. 73).

JOSEFO, CONTRA APIÃO (aprox. 93-95 d.C.) (McDONALD, 2013, p. 74).

4ESDRAS 14:22-48 (aprox. 90 d.C.) (McDONALD, 2013, p. 78).

MELITO DE SARDES (aprox. 170-180 d.C.) (McDONALD, 2013, p. 80).

BABA BATRA (aprox. 10 a.C. a 200 d.C.) (McDONALD, 2013, p. 81).

 

As listas mais antigas mencionando os livros do Antigo Testamento são (1) a lista Judaica de Baba Batra, (2) a lista Cristã de Melito e (3) a lista de Briênius. 

Outras evidências antigas falam sobre a Lei e os Profetas, mas não dão detalhes sobre quais livros compõem a Lei e os Profetas, a saber, (1) a evidência em Sirácida, (2) a evidência em Josefo...   

 

CÂNON DE JOSEFO

Josefo disse que eles – os judeus – tinham apenas 22 LIVROS dignos de crédito, sendo CINCO de Moisés, TREZE dos Profetas e QUATRO de "Hinos e Conselhos" e também disse que os livros produzidos DEPOIS de Artaxerxes NÃO tiveram o mesmo crédito, pois NÃO houve uma SUCESSÃO EXATA de profetas.

(Josefo, Contra Apion, Livro 1, números de 38 a 41, ou número 8, dependendo da forma de enumerar; versão em inglês; versão em espanhol)(BRUCE, 2011, p. 32).

 

 

a

CÂNON DE MELITO

O doutor Lee McDonald cita um documento cristão antigo, conhecido como História Eclesiástica de Eusébio, livro 4, capítulo 26, versos 1,13,14, o qual registra a primeira evidência, até então conhecida, de um cristão mencionando o cânon do Antigo Testamento; esse cristão é o Bispo Melito de Sardes do século II d.C. (aprox. 180 d.C.), o qual precisou viajar até Israel para saber qual era o cânon do Antigo Testamento (McDONALD, 2013, p. 80,92,103,104) e, conforme explica o doutor Frederick Bruce e o doutor Lee MacDonald, o cânon trazido pelo bispo Melito não continha o Livro de ESTER (BRUCE, 2011, p. 65; McDONALD, 2013, p. 104).

O doutor Daniel J. Harrington explica que essa situação de o bispo Melito ter precisado viajar até a Palestina, a fim de se certificar sobre quais livros pertenciam ao Antigo Testamento SUGERE que, naquela época, fim do século II, entre os cristãos e judeus da diáspora (fora da Palestina), não havia certeza quanto à composição exata do cânon do Antigo Testamento (McDONALD;  SANDERS, 2019, p. 199) e o doutor Lee MacDonald também considera isso, pois, se o conteúdo exato do Antigo Testamento fosse conhecido, Melito não precisaria viajar até a Palestina, mas apenas perguntar para algum judeu local. (McDONALD, 2013, p. 80,92).

Conforme comenta, por exemplo, o doutor Frederick Bruce e o doutor Lee McDonald, o cânon de Melito provavelmente é IGUAL ao cânon judaico atual, com exceção de que não menciona o livro de ESTER (BRUCE, 2011, p. 65; McDONALD, 2013, p. 80,103,104).

O doutor Frederick Bruce explica que, embora o cânon de Melito não mencione Neemias e Lamentações, entende-se que o livro de Neemias está incluso no Livro de Esdras e que Lamentações está incluso no Livro de Jeremias (BRUCE, 2011, p. 65). Há também quem entenda que o cânon de Melito também menciona o livro da Sabedoria de Salomão, como veremos a seguir.

O doutor Timothy diz que o trecho de Melito sobre Provérbios de Salomão possui INTERPRETAÇÕES DIFERENTES, por exemplo, a tradução de Kirsopp Lake, de Harvard, diz "os Provérbios de Salomão e Sua Sabedoria", porém o doutor Leiman Sid Zalman traduz como "os Provérbios de Salomão também chamados de Sua Sabedoria" (LIM, 2013, p. 38, 219).

POR UM LADO, o doutor Lee MacDonald, por exemplo, diz que o cânon de Melito inclui o livro da Sabedoria de Salomão (McDONALD, 2013, p. 80,104,116), POR OUTRO LADO, o doutor Timothy Lim, por exemplo, defende que a melhor tradução seja "os Provérbios de Salomão ou também Sabedoria" (LIM, 2013, p. 219), a tradução da Editora Paulus traz “Provérbios ou Sabedoria de Salomão” (EUSÉBIO, 2000, p. 214) e o doutor Frederick Bruce afirma que não se trata do Livro da Sabedoria, mas sim trata-se do próprio livro de Provérbios, também chamado de Sabedoria (BRUCE, 2011, p. 65). Veja a passagem sobre o Cânon de Melito no APÊNCICE.

 

 

 

 

TODAS AS ESCRITURAS SUJAM AS MÃOS

Em um texto judaico antigo, que faz parte da Lei Oral Judaica, conhecida como MISHNÁ, existe uma discussão entre os rabinos se o Livro de Cantares (Cântico dos Cânticos) e se o Livro de Eclesiastes (Cohelet) são sagrados ou não.

Este texto encontra-se no Talmude Babilônico, que é um conjunto de textos judaicos antigos. Tal texto encontra-se no Talmude Babilônico, orem Tehorot, tratado Yadayim, capítulo 3, parte 5.

É interessante que, para dizer que algo é sagrado ou não, eles usam a expressão “Sujar as Mãos”, ou seja, para eles, algo SUJA as mãos NÃO pelo fato de esse algo ser sujo, mas sim o oposto, ou seja, pelo fato de algo ser LIMPO faz com que as mãos que toquem esse algo sejam consideradas sujas.

Embora (1) o Rabino Judá diga que Todas as Escrituras sujam as mãos, isto é, são sagradas (Yadayim 3, parte 4, B – 3, parte 5, G), (2) o Rabino Simeção Ben Azzai diga que Cantares e Eclesiastes sujam as mãos (sejam sagrados) (Yadayim 3, parte 5, L) e (3) o Rabino Akiva diga que Cantares é o mais sagrado de todos (Yadayim 3, parte 5, O,P,Q), por outro lado, (4) o próprio Rabino Akiva diz que havia divergência com relação ao livro de Eclesiastes (Cohelet) (Yadayim 3, parte 5, R), (5) o próprio Rabino Judá também diz que há divergência com relação ao Livro de Eclesiastes (Cohelet) (Yadayim 3, parte 5, i) e (6) o Rabino Yose diz que o Livro de Eclesiastes (Cohelet) não suja as mãos, isto é, não é sagrado, MAS que existe divergência com relação ao livro de Cantares (Yadayim 3, parte 5, J). (McDONALD, 2013, p. 90,91; LIM, 2013, p. 50; McDONALD;  SANDERS, 2019, p. 153,154). Veja essa passagem do APÊNDICE.

 

***

 

 

 

*****     *****     *****     *****     *****     *****     *****  

 

 

TEXTO MASSORÉTICO, DA SEPTUAGINTA E OUTROS

Conforme o doutor Frederick Bruce, a citação feita em Romanos e em Hebreus (Romanos 12:19 - Hebreus 10:30) do Antigo Testamento "a mim pertence a vingança, eu é que retribuirei (Deuteronômio 32:35)" NÃO corresponde nem ao texto Hebraico nem ao texto da Septuaginta, MAS corresponde aos TARGUNS ARAMAICOS (BRUCE, 2011, p. 50).

O doutor Frederick Bruce explica que o discurso de Estêvão em Atos 7 é todo baseado na SEPTUAGINTA, porém o verso 4 NÃO tem apoio na Septuaginta nem no texto hebraico Massorético, MAS sim é consistente com o texto SAMARITANO, o qual informa que Terá tinha 145 anos (Gênesis 11:32) (BRUCE, 2011, p. 50).  

 

 

**************

APÊNCICE

 

*****     *****     *****     *****     *****     *****     ***** 

PRÓLOGO DE SIRÁCIDA/ECLESIÁSTICO

Visto que a LEI, os PROFETAS e os OUTROS ESCRITORES, que se seguiram a eles, deram-nos tantas e tão grandes lições, pelas quais convém louvar Israel por sua instrução e sua sabedoria, e como, além do mais, é um dever não apenas adquirir ciência pela leitura, mas ainda, uma vez instruído, pôr-se a serviço dos de fora, por palavras e por escritos:

MEU AVÔ JESUS, depois de dedicar-se intensamente à leitura da LEI, dos PROFETAS e dos OUTROS LIVROS dos antepassados, e depois de adquirir neles uma grande experiência, ele próprio sentiu necessidade de escrever algo sobre a instrução e a sabedoria, a fim de que os que amam a instrução, submetendo-se a essas disciplinas, progridam muito mais no viver segundo a LEI.

Sois, portanto, convidados a ler com benevolência e atenção e a serdes indulgentes onde, a despeito do esforço de interpretação, parecermos enfraquecer algumas das expressões: é que não tem a mesma força, quando se traduz para outra língua, aquilo que é dito originalmente em HEBRAICO; não só este livro, mas a própria LEI, os PROFETAS e os OUTROS LIVROS têm grande diferença nos originais.

ora, no trigésimo oitavo ano do falecido rei Evergetes, indo ao Egito e sendo-lhe contemporâneo, encontrei uma vida segundo uma alta sabedoria, e eu julguei muito necessário dedicar cuidado e esforço para TRADUZIR este livro. Dediquei muitas vigílias e ciência, durante este período, a fim de levar a bom termo o trabalho e publicar o livro para OS QUE, FORA DA PÁTRIA, desejam instruir-se, reformar os costumes e viver conforme a LEI.

(BÍBLIA DE JERUSALÉM, 2002, p. 1144; LIM, 2013, p. 99,100; McDONALD, 2013, p. 67,68; COMFORT, 2001, p.90)

 

*****     *****     *****     *****     *****     *****     ***** 

SIRÁCIDA/ECLESIÁSTICO 48 e 49

Capítulo 48, verso 22 (ou 25, dependendo da enumeração): "Porque Ezequias fez o que agrada ao Senhor e se mostrou forte seguindo seu pai Davi, como lhe ordenou o PROFETA ISAÍAS, o grande, o fiel em suas visões." 

Capítulo 49, versos do 7 ao 10 (ou do 9 ao 12, dependendo da enumeração):

(7 ou 9) "segundo a palavra de JEREMIAS. Porque eles o maltrataram, a ele, consagrado profeta desde o seio materno, para erradicar, destruir e arruinar, mas também para construir e para plantar.

(8 ou 10) EZEQUIEL contemplou uma visão de glória, que deus lhe mostrou sobre o carro dos querubins,

(9 ou 11) porque ele fez menção (*de JÓ que seguiu todos os caminhos direitos).

(10 ou 12) Quanto aos DOZE PROFETAS, que seus ossos refloresçam de seu sepulcro, porque eles consolaram Jacó, eles o resgataram na fé e na esperança.

*A nota de rodapé da Bíblia de Jerusalém explica que, no texto hebraico, é dito "de JÓ que seguiu todos os caminhos direitos", em vez de "de inimigos na tempestade, para favorecer os que seguiam o caminho reto", uma vez que a palavra hebraica para o nome "Jó" é "iyob", a qual se parece com a palavra hebraica "inimigo" que é "oyeb". (BÍBLIA DE JERUSALÉM, 2002, p. 1224; McDONALD, 2013, p. 67; SANDERS, 2005, p. 107).

 

*****

 

 CÂNON DE BABA BATRA 

 

Nossos rabinos ensinaram: a ordem dos PROFETAS é a seguinte: Josué, juízes, Samuel, reis, Jeremias, Ezequiel, Isaías e OS DOZE PROFETAS MENORES. Examinemos isso.

OSEIAS apareceu primeiro (entre os profetas menores), como está escrito (Oseias 1:2): Deus falou primeiro a Oseias. Mas Deus realmente falou primeiro a Oseias? Não houve muitos profetas entre Moisés e Oseias?

Rabino Johanan (250-290), porém, explicou que ele foi o primeiro dos quatro profetas que profetizaram naquele período, ou seja, OSEIAS, ISAÍAS, AMÓS e MIQUEIAS.

Não deve então Oseias vir em primeiro lugar? - Como sua profecia está com as profecias de AGEU, ZACARIAS e MALAQUIAS, e Ageu, Zacarias e Malaquias vieram no fim dos profetas, ele é contado com eles. Mas por que ele não deve ficar separado e ser posto em primeiro lugar? - Vejamos novamente.

ISAÍAS foi anterior a JEREMIAS e EZEQUIEL. Então por que não deve Isaías ser posto em primeiro lugar? - Porque o livro de REIS termina com um registro de destruição e JEREMIAS fala o tempo dedo em destruição; EZEQUIEL começa com destruição e termina com consolação; ISAÍAS está repleto de consolação; por isso colocamos destruição com destruição e consolação com consolação.

(Nossos rabinos ensinaram:) A ordem dos hagiógrafos é RUTE, SALMOS, JÓ, PROVÉRBIOS, ECLESIASTES, CANTARES, LAMENTAÇÕES, DANIEL e o manuscrito de ESTER, ESDRAS e CRÔNICAS.

Agora, considerando que JÓ viveu nos dias de Moisés, o livro de JÓ não deveria vir primeiro? - Não começamos com um relato de sofrimento. Mas também RUTE não é um relato de sofrimento? - É um sofrimento com uma continuação (de felicidade), como Rabino Johanan disse: por que seu nome era Rute? - Porque dela descendeu Davi que glorificou o Santíssimo, bendito seja ele, com hinos e louvores.  

Quem escreveu as Escrituras?

(a) MOISÉS escreveu (1) SEU LIVRO, (2) a Seção de BALAÃO e (3) JÓ;

(b) JOSUÉ escreveu (4) SEU LIVRO e (5) (os últimos) oito versos do Pentateuco;

(c) SAMUEL escreveu (6) SEU LIVRO, (7) o livro de JUÍZES e (8) RUTE;

(d) DAVI escreveu (9) o Livro de SALMOS, nele incluindo a obra dos dez anciãos, ou seja, Adão, Melquisedeque, Abraão, Moisés, Hemã, Idutum, Asafe e os três filhos de Coré;

(e) JEREMIAS escreveu (10) SEU LIVRO, (11) o Livro dos REIS e das (12) LAMENTAÇÕES;

(f) EZEQUIAS e seus colegas escreveram (13) ISAÍAS, (14) PROVÉRBIOS, (15) CANTARES, (16) ECLESIASTES.

(g) Os homens da GRANDE ASSEMBLEIA escreveram (17) EZEQUIEL, (18) OS DOZE PROFETAS, (19) DANIEL e o manuscrito de (20) ESTER;

(h) ESDRAS escreveu (21) SEU LIVRO e as genealogias das (22) CRÔNICAS, até seu tempo.

Isso confirma a opinião de Rab (220-250), uma vez que Rab Judá (250-290) disse em nome de Rab: Esdras não partiu da Babilônia para ir a Eretz Yisrael até ter escrito sua própria genealogia. Quem então o terminou (o livro de Crônicas)? - Neemias, filho de Hacalias.

(TALMUD; BARAITA BABA BATRA; 14a, 15a)(McDONALD, 2013, p. 81,82,83; McDONALD;  SANDERS, 2019, p. 178,179; LIM, 2013, p. 335,36; BRUCE, 2011, p. 29)(RODRIGUES, 2012; pág. 248)

 

NOTA: De acordo com esse cânon, vemos o seguinte: 

(a) ESCRITORES: (a) Moisés, (b) Josué, (c) Samuel, (d) Davi, (e) Jeremias, (f) Ezequias e colegas, (g) os homens da Grande Assembleia e (h) Esdras.

(b) ESCRITOS: (1) Livro de Moisés, (2) a seção de Balaão, (3) Jó, (4) Livro de Josué, (5) oito versículos da Lei, (6) Livro de Samuel, (7) Juízes, (8) Rute, (9) Salmos, (10) Livros de Jeremias, (11) Reis, (12) Lamentações, (13) Isaías, (14) Provérbios, (15) Cantares, (16) Eclesiastes, (17) Ezequiel, (18) Os Doze Profetas, (19) Daniel, (20) Ester, (21) Livro de Esdras e (22) Crônicas.

3. Nesse cânon, conforme é tradicionalmente, o Livro de Moisés deve ser composto de Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio; entende-se que, no livro de ESDRAS, esteja incluso NEEMIAS; e o livro dos DOZE PROFETAS, conforme a tradição, deve ser composto por “Oseias, Naum, Joel, Habacuque, Amós, Sofonias, Obadias, Ageu, Jonas, Miqueias, Zacarias e Malaquias”.

 

 

*****

CÂNON DE MELITO 

(13) Melito a Onésimo, seu irmão. Saudações. Visto que muitas vezes você manifestou o desejo, inspirado pelo seu zelo com relação à doutrina, de possuir extratos da Lei e dos Profetas sobre o Salvador e o conjunto de nossa fé e você ainda quis conhecer com exatidão o número dos antigos livros e a ordem que seguem, eu me dediquei a tal tarefa, uma vez que eu conheço o seu zelo pela fé e a sua aplicação ao estudo da doutrina. O amor de Deus, sobretudo, faz com que você o aprecie, enquanto você luta, tendo em mira a salvação eterna.

(14) Eu tendo ido, portanto, ao Oriente e tendo estado até mesmo no lugar onde a Escritura foi anunciada e cumprida, eu tive o exato conhecimento sobre os Livros do Antigo Testamento. Eu levantei uma lista, a qual envio a você. São os seguintes os seus nomes:

De Moisés, cinco livros: Gênesis, Êxodo, Números, Levítico, Deuteronômio;

Josué, filho de Nun;

Juízes, Rute;

Quatro livros dos Reis, dois livros De Crônicas (Paralipômenos);

Salmos de Davi, Provérbios ou Sabedoria de Salomão;

Eclesiastes, Cantares, Jó;

Profetas: Isaías, Jeremias e os Doze num só livro;

Daniel, Ezequiel, Esdras.

Destas obras, eu extraí alguns trechos, que distribuí por seis livros”. Esses são as palavras de Melito.

(História Eclesiástica, livro 4, capítulo 26, versos 1,13,14)(McDONALD, 2013, p. 103,104; LIM, 2013, p. 37,38; BRUCE, 2011, p. 64,65; EUSÉBIO, 2000, p. 213,214,215).

 

*****     *****     *****     *****     *****     *****     ***** 

YADAYIM, CANTARES, ECLESIASTES (Sujar as Mãos)

 

Capítulo 3, Parte 4.

(b) Rabino Judá diz: “O que está no fim não suja as mãos, a não ser que esteja fixado na vareta”. 

Capítulo 3, Parte 5.

(a) Um rolo que foi rasurado e em que permanecem oitenta e cinco letras, (b) como a frase: “Quando a arca partia” (Números 10:35) (c) suja as mãos.

(d) Um rolo em que estão escritas oitenta e cinco letras, (e) como a frase: “Quando a arca partia”, (f) suja as mãos.

(g) Todas as Escrituras sujam as mãos.

(h) Cantares e Eclesiastes (Cohelet) sujam as mãos.

*(i) Rabino Judá diz: “Cantares sujam as mãos, MAS HÁ DIVERGÊNCIAS QUANTO A ECLESIASTES (Cohelet)”.

*(j) Rabino Yose diz: “ECLESIASTES (Cohelet) NÃO SUJAM AS MÃOS, MAS HÁ DIVERGÊNCIAS QUANTO A CANTARES”.

(k) Rabino Simeão diz: “Eclesiastes (Cohélet) está entre as prescrições flexíveis da Escola de Shamai e entre as prescrições rígidas da Escola de Hilel”.

(l) Rabino Simeão Ben Azzai disse: “Eu tenho uma tradição do testemunho dos setenta e dois anciãos, (m) no dia em que empossaram Rabino Eleazar Ben Azariah na sessão, (n) de que Cantares e Eclesiastes (Cohelet) sujam as mãos”.

*(o) Rabino Aquiba disse: “Santo Deus! Nenhum israelita jamais contestou que Cantares sujam as mãos”. (p) Séculos inteiros não têm tanto valor quanto ao dia em que Israel recebeu Cantares, (q) pois todas as Escrituras são sagradas, mas Cantares é a mais sagrada de Todas. (r) E SE ELES DEBATIAM, DEBATIAM SOMENTE QUANTO A ECLESIASTES (Cohelet)”.

(s) Disse Rabino Yohanan Ben Joshua, filho do sogro do Rabino Aquiba, de acordo com as palavras de Ben Azzai: “Realmente debateram e realmente chegaram a uma decisão”.

(Talmude Babilônico: Ordem: Tehorot; Tratado: Yadaim, capítulo 3, parte 5) (McDONALD, 2013, p. 90,91; LIM, 2013, p. 50; McDONALD;  SANDERS, 2019, p. 153,154)(SEFARIA, [20--?]).

 

*****     *****     *****     *****     *****     *****     ***** 

JOSEFO

 

Não temos muitos livros, discordando e conflitando entre si, mas APENAS 22, contendo o registro de todo tempo, e juntamente dignos de crédito. 

Desses, CINCO são de MOISÉS, contendo as leis e a história transmitida desde a criação da raça humana até a morte do autor. Este período fica pouco aquém de três mil anos.

Da morte de Moisés até o tempo de Artaxerxes, que reinou sobre a pérsia depois de Xerxes, os PROFETAS que seguiram a Moisés  escreveram em TREZE LIVROS as coisas que transcorreram em seus dias.

Os outros QUATRO livros restantes contêm HINOS a Deus e PRINCÍPIOS DE VIDA para os seres humanos. 

Desde o tempo de Artaxerxes até o nosso tempo um registro detalhado dos acontecimentos foi feito, mas não foi considerado de igual crédito como o dos registros anteriores, pois desde então NÃO HOUVE SUCESSÃO EXATA DE PROFETAS.

(Josefo, Contra Apion, Livro 1, números de 38 a 41, ou número 8, dependendo da forma de enumerar; versão em inglês; versão em espanhol)(BRUCE, 2011, p. 32).

 

 

 

 

 

REFERÊNCIAS

 

BÍBLIA DE JERUSALÉM. Eclesiástico. São Paulo: Editora Paulus, 2002.

 

BRUCE, Frederick Fyvie. O Cânon das Escrituras. São Paulo: Editora Agnos, 2011.  

COMFORT, Philip Wesley. A Origem da Bíblia. 3º Edição. Rio de Janeiro: Editora CPAD, 2001.

EUSÉBIO. História Eclesiástica. São Paulo: Editora Paulus, 2000.

LIM, Timothy H. The Formation of the Jewish Canon. London: Yale University Press, 2013.

McDONALD, Lee Martin. A Origem da Bíblia: Um guia para os perplexos. São Paulo: Editora Paulus, 2013.

McDONALD, Lee Martin; SANDERS, James Alvin. The Canon Debate. Grand Rapids, Michigan: Baker Academic, 2019.

NESTLE-ALAND. Novum Testamentum Graece. Editora SBB, 2012.

SANDERS, James Alvin. Torah and Canon. Second Edition. Eugene, Oregon: Cascade Books, 2005.

SEFARIA. Mishnah Yadayim. [20--]. Disponível em: <https://www.sefaria.org/Mishnah_Yadayim?lang=bi>. Acesso em: 27 març. 2021.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

a

 

INTRODUÇÃO: A Bíblia é a fonte bibliográfica primária do cristianismo. A Bíblia é um conjunto de livros em um só volume. A Bíblia não define bem quais livros a compõe, mas é a tradição judaico-cristã, que é outra fonte bibliográfica antiga, que nos mostra quais livros foram escolhidos para a compor! 

Este artigo é destinado tanto para leitores que têm sua crença na Bíblia – como eu – quanto para aqueles que não têm; a questão de crença ou não é pessoal. A proposta desse artigo é mostrar como a Bíblia surgiu, de forma histórico-acadêmica. Reflexão: Não adianta ter conhecimento sem amor, pois sem amor nada tem valor (1Coríntios 13:2,3).

******     ******     ******     ******     ******     ******     ******

 O CÂNON DO ANTIGO TESTAMENTO

 

Reflexão: Imagine um povo com sua história e crença! Não seria normal que pessoas de tal povo acabassem escrevendo sobre sua história e crença? Assim é o Antigo Testamento!

 

O QUE SIGNIFICA A PALAVRA “BÍBLIA”

1. A palavra BÍBLIA é de origem grega e significa “livros” ou “rolos”, ou seja, a BÍBLIA que temos hoje é um conjunto de “livros (e cartas)” em um só VOLUME; a palavra “Bíblia” é o plural da palavra grega “BÍBLION (G975)” (FONTE: Concordância de James Strong); a Bíblia é tradicionalmente dividida em DOIS grupos de livros: os livros escritos ANTES do nascimento de Jesus são tradicionalmente chamados de ANTIGO Testamento; os livros (e cartas) escritos DEPOIS do nascimento de Jesus são tradicionalmente chamados de NOVO Testamento.

Segundo os estudiosos, o Antigo Testamento foi escrito originalmente em HEBRAICO, com algumas partes em ARAMAICO, a saber: Daniel 2:4b até Daniel 7:28, Esdras 4:8 até Esdras 6:18, Esdras 7:12 até Esdras 7:26, Jeremias 10:11, Gênesis 31:47 (COMFORT, 2001; CPAD; A Origem da Bíblia; pág. 304) e o Novo Testamento foi originalmente escrito em grego – Mateus em aramaico – e (AQUINO, 2015, pág. 24)(História Eclesiástica; Eusébio de Cesareia, capítulo 24:6);

Existe uma TRADUÇÃO antiga do ANTIGO Testamento feita por JUDEUS, do hebraico para o GREGO, feita ANTES do nascimento de Jesus, conhecida como SEPTUAGINTA (LIMA, 2007; pág. 17,18)(TALMUD Babilônico: ordem MOED, tratado MEGILLA, página 9a-9b. // FLÁVIO JOSEFO; Antiguidades Judaicas; livro 12, capítulo 2, versículos 11-15.)(Comfort, 2001; pág. 230,231)

2. Antigamente, as mensagens eram escritas em “ROLOS” de papiro – folha feita de planta (POROSCHI, 2012; pág. 12) – ou de pergaminho – folha feita de pele de animal (POROSCHI, 2012; pág. 15) – depois surgiram os “CÓDICES”, que eram folhas de papiro ou de pergaminho costuradas, formando um caderno (POROSCHI, 2012; pág. 19,20).

 

O QUE SIGNIFICA A PALAVRA "CÂNON"  

3. A Bíblia que temos hoje é composta por uma "LISTA" de escritos (livros) que foram “aceitos” pelos cristãos como BASE da FÉ cristã; tradicionalmente, essa LISTA é chamada de "CÂNON", que é de origem grega e significa “cana de medir” (LIMA, 2007; pág. 11).

*Mas a palavra "cânon", dependendo do contexto, pode ter outro sentido! 

 

QUAL A DIFERENÇA ENTRE A BÍBLIA CATÓLICA E A PROTESTANTE?

4. O Novo Testamento é igual nas duas Bíblias. A diferença é que, quanto ao Antigo Testamento, apenas a Bíblia Católica contém os seguintes livros, os quais eu coloquei "entre parênteses":

******     ******     ******     ******     ******     ******     ******

*NOVO TESTAMENTO: Mateus, Marcos, Lucas João; Atos, Romanos, I Coríntios, II Coríntios, Gálatas, Efésios, Filipenses, Colossenses, Tessalonicenses, Timóteo, Tito, Filemon; Hebreus, Tiago, I Pedro, II Pedro, I João, II João, III João, Judas, Apocalipse.  

*ANTIGO TESTAMENTIO: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio; Josué, Juízes, Rute, I Samuel, II Samuel, I Reis, II Reis, I Crônicas, II Crônicas, Esdras, Neemias, (Tobias), (Judite), Ester, (Ester capítulo 10: de 4 a 16 e capítulos de 11 a 16), (I Macabeus), (II Macabeus), Jó, Salmos, Provérbios, Eclesiastes, Cantares, (Sabedoria), (Eclesiástico/Sirácida), Isaías, Jeremias, Lamentações, (Baruque), Ezequiel, Daniel, (História de Suzana = Daniel 13), (Bel e o Dragão = Daniel 14), Oséias, Joel, Amós, Obadias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuque, Sofonias, Ageu, Zacarias, Malaquias.

******     ******     ******     ******     ******     ******     ******

5. Os livros que NÃO se encontram na Bíblia Protestante são conhecidos pela Igreja Católica Apostólica Romana como DEUTEROCANÔNICOS do Antigo Testamento. Neste estudo, eu vou chamar o cânon protestante de "cânon menor" e o cânon católico de "cânon Maior". 

6. ***Pergunta: Por que as Bíblias Católica e Protestante são diferentes?

Resposta: O Antigo Testamento Protestante baseia-se, "a princípio", em "manuscritos hebraicos massoréticos", enquanto que o Antigo Testamento Católico Apostólico Romano, "a princípio", baseia-se em "manuscritos gregos da Septuaginta" (ANGLADA, 2013; capítulo 3). 

7. ***Pergunta: Qual a diferença entre "Manuscritos Massoréticos" e "Manuscritos da Septuaginta"?

Resposta: (a) Os manuscritos MASSORÉTICOS foram escritos em língua hebraica e NÃO são tão antigos; os mais antigos deles são: (1) o códice Cairense (datado de 895 d.C.), (2) o códice Alepo (datado do início do século dez) e (3) o códice Leningrado (datado de 1008 d.C.) (Comfort, 2001; págs. 217,218); os manuscritos do Mar Morto são bem antigos e serviram para confirmar a “exatidão” do texto massorético (Comfort, 2001; págs. 214,215,227); veja mais sobre isso adiante.

(b) A SEPTUAGINTA é uma tradução antiga feita por JUDEUS, do hebraico para o grego, feita em Alexandria, antes do nascimento de Jesus; a comunidade JUDAICA no Egito NÃO falava hebraico, mas sim GREGO (TALMUD Babilônico: ordem MOED, tratado MEGILLA, página 9a-9b. // FLÁVIO JOSEFO; Antiguidades Judaicas; livro 12, capítulo 2, versículos 11-15.)(Comfort, 2001; pág. 230,231)(LIMA, 2007; pág. 17,18);

8. Os manuscritos mais antigos da Septuaginta são (1) o códice Vaticano (século quarto d.C.), (2) o códice Sinaítico (século quarto d.C.) e (3) o códice Alexandrino (século quinto d.C.) (BRUCE, 2011; pág. 63); também existem alguns manuscritos do Mar Morto, que são mais antigos, os quais confirmam a Septuaginta . Veja mais detalhes sobre a origem e os manuscritos da Septuaginta, inclusive os do Mar Morto, neste link. 

9. ***Pergunta: Para que um livro do Antigo Testamento seja considerado "canônico", é necessário que tal livro tenha sido "originalmente" escrito em "hebraico"?

Resposta: Embora "tradicionalmente" diga-se que sim, devemos considerar que a Bíblia NÃO diz isso e que NÃO existe NENHUM registro histórico antigo que diga isso. ***SE alguém encontrar tal registro histórico antigo, diga a "referência completa", a saber: (a) o nome dessa obra antiga, (b) o nome desse autor antigo, (c) o número do volume (se houver), (d) o número e/ou o nome do capítulo, (e) o número e/ou o nome do subtítulo (se houver), (f) o número das páginas e (g) o número do parágrafo (se houver). 

10. ***Veja que alguns trechos do Antigo Testamento hebraico foram escritos em ARAMAICO, a saber: Daniel 2:4b até Daniel 7:28, Esdras 4:8 até Esdras 6:18, Esdras 7:12 até Esdras 7:26, Jeremias 10:11, Gênesis 31:47 (COMFORT, 2001; CPAD; A Origem da Bíblia; pág. 304).

11. Durante o cativeiro babilônico, o idioma comum dos judeus NÃO era o hebraico, mas sim o ARAMAICO (Comfort, 2001; pág. 233); após o cativeiro babilônico, havia israelitas que NÃO sabiam mais o idioma judaico – entende-se “hebraico” – (Neemias 13:23,24); veja que Esdras, ao ler a LEI para o povo, NEM todos podiam “entender” a leitura (Neemias 8:2,3); devido a isso, o livro da LEI foi interpretado e explicado, para que o povo pudesse entender o que estava sendo lido (Neemias 8:8).

12. Na época de Jesus Cristo, a maioria dos judeus NÃO falava hebraico, mas sim ARAMAICO e GREGO; Jesus, os apóstolos e a igreja dos primeiros séculos usavam a Septuaginta; veja que, no Novo Testamento, muitas informações são provenientes do texto da SEPTUAGINTA (Comfort, 2001; pág. 232). Leia as passagens a seguir e confira.

(a) Em ATOS 7:14, é dito que Jacó com sua família eram 75 pessoas; essa passagem se refere a ÊXODO 1:5, MAS o texto hebraico massorético diz 70; o texto da Septuaginta diz 75.

(b) Em ATOS 7:53, em GÁLATAS 3:19 e em HEBREUS 2:2 é dito que a LEI foi transmitida por ANJOS; essas passagens se referem a DEUTERONÔMIO 33:2, MAS o texto hebraico massorético diz "santos"; o texto da Septuaginta diz "anjos";

(c) Em MATEUS 1:22,23, é dito que a VIRGEM dará a luz; essa passagem se refere a ISAÍAS 7:14; MAS o texto hebraico massorético diz "JOVEM"; o texto da Septuaginta diz "VIRGEM";

(d) Em ATOS 7:43, fala-se sobre um ídolo chamado RENFÃ; essa passagem se refere a AMÓS 5:26; Mas o texto hebraico massorético diz que o nome do ídolo é QUIUM; o texto da Septuaginta diz "RENFÃ";

(e) Em MATEUS 21:16, fala-se sobre o PERFEITO LOUVOR das crianças; essa passagem se refere a SALMOS 8:2; Mas o texto hebraico massorético diz "FORÇA DAS CRIANÇAS"; o texto da Septuaginta diz "LOUVOR DAS CRIANÇAS". ("AINOS" G136 = louvor)("NEPIOS" G3516 = criança).

 

13. ***Pergunta: Quanto ao Antigo Testamento, por que o cânon protestante é "menor" e o cânon católico é "Maior"?  

Resposta: A princípio, é porque o cânon Massorético é "menor" e o cânon da Septuaginta é "Maior".  

 

14. ***Pergunta: O Novo Testamento – ou a Bíblia em geral – faz alguma referência aos Deuterocanônicos do Antigo Testamento (da Igreja Católica)? Resposta: Leia, COMPARE e CONFIRA!

(a) Em JOÃO 10:22, fala-se sobre a FESTA DA DEDICAÇÃO - conhecida entre os judeus por CHANUKAH - e essa festa está relatada apenas em I MACABEUS 4:56-59 (deuterocanônico);

(b) Em MATEUS 12:33,34, fala-se sobre a "árvore e seus frutos" e sobre "falarmos aquilo de que o nosso coração está cheio"; essa passagem é muito parecida com ECLESIÁSTICO 27:7 (deuterocanônico); seria uma referência consciente ou uma coincidência? 

(c) Em LUCAS 12:19,20, fala-se sobre "a riqueza material que é perdida quando a pessoa morre"; essa passagem é muito parecida com ECLESIÁSTICO 11:18-20 (deuterocanônico); seria uma referência consciente ou uma coincidência?

(d) Em LUCAS 6:31 e em MATEUS 7:12, fala-se sobre "o bem que queremos para nós, devemos fazer aos outros"; essa passagem é muito parecida com TOBIAS 4:16 (deuterocanônico), que diz "de forma inversa", que não devemos fazer aos outros o mal que não queremos para nós; seria uma referência consciente ou uma coincidência? 

(e) Em HEBREUS 11:35, na parte "a", fala-se sobre "mulheres que receberam, pela ressurreição, os seus mortos"; nesse caso, entende-se que se refere à viúva de Serepta, cujo filho ressuscitou (1Reis 17:17-23) e se refere à mulher sunamita, cujo filho também ressuscitou (2Reis 4:8-37); MAS a parte "b" fala de "outros", que foram TORTURADOS, recusando serem libertos, para que obtivessem uma SUPERIOR RESSURREIÇÃO; observe que o filho da viúva de Serepta e o filho da mulher sunamita "não" foram torturados; a única passagem que fala sobre pessoas sendo "torturadas", na esperança de uma "superior ressurreição" é a passagem de II MACABEUS 7:9 (deuterocanônico);

(f) Em TIAGO 3:5-6, fala-se sobre o "fogo destruidor da língua"; essa passagem é muito parecida com ECLESIÁSTICO 28:13-30 (deuterocanônico); seria uma referência consciente ou uma coincidência?

(g) Em APOCALIPSE 8:2-5, fala-se sobre "sete anjos que servem diante de Deus"; essa passagem é muito parecida com TOBIAS 12:15 (deuterocanônico); seria uma referência consciente ou uma coincidência?

(h) Em APOCALIPSE 21:18-21, há uma profecia sobre "a Nova Jerusalém feita com pedras preciosas"; essa passagem é muito parecida com TOBIAS 13:20-23 (deuterocanônico); seria uma referência consciente ou uma coincidência?

(i) Em JEREMIAS 36:4,5, o profeta Jeremias chamou BARUQUE, filho de Nerias, para escrever num LIVRO (rolo) a Palavra de Deus; essa passagem está diretamente relacionada com BARUQUE 1:1-3 (deuterocanônico).

15. ***Pergunta: Sempre quando há alguma passagem na Bíblia, citando ou fazendo referência a algum livro, significa que tal livro é canônico?

Resposta: NÃO, por exemplo, os livros de Juízes, Crônicas, Ester e Cantares NÃO são citados no Novo Testamento (LIMA, 2007; pag.103), mas se encontram no cânon católico/protestante; o livro de I Enoque – proveniente da Septuaginta – (Judas 1:14,15) e Menandro (I Coríntios 15:33) são citados no Novo Testamento mas NÃO se encontram no cânon católico/protestante (BRUCE, 2011; pág. 48,77), mas a Igreja Etíope aceita I Enoque como canônico.

16. O Antigo Testamento também menciona alguns livros, os quais não fazem parte de nenhum cânon, a saber: (1) Livro das Guerras (Números 21:14), (2) Livro de Jasar (Josué 10:13 – 2 Samuel 1:18), (3) Livro dos Atos de Salomão (1 Reis 11:41), (4) Livro de Natã (1 Crônicas 29:29 – 2 Crônicas 9:29), (5) Livro de Gade (1 Crônicas 29:29), (6) Histórias do Profeta Ido (2Crônicas 13:22), (7) Livro de Semaías (2 Crônicas 12:15), (8) Atos de Uzias, Escrito por Isaías (2 Crônicas 26:22), (9) Livros dos Videntes (2 Crônicas 33:19).

17. ***Pergunta: Há como saber, com EXATIDÃO, qual era o cânon utilizado por Jesus e os apóstolos?

Resposta: As evidências nos dão uma BOA NOÇÃO, mas NÃO são suficientes para nos fornecer uma EXATIDÃO sobre isso! Veja isso mais adiante, mas antes, vamos ler o que os bispos e estudiosos cristãos antigos escreveram sobre o assunto.

18. ***Pergunta: Mas como saber como o cânon do Antigo Testamento se formou?

Resposta: A forma histórico-acadêmica de sabermos isso é observarmos (a) os documentos "antigos" sobre os bispos e estudiosos cristãos antigos e (b) os documentos "antigos" sobre rabinos e estudiosos judeus antigos, verificando o que eles disseram sobre o assunto!

 

BISPOS E ESTUDIOSOS CRISTÃOS ANTIGOS 

19. ***Pergunta: O que os Bispos e Estudiosos Cristãos Antigos escreveram sobre o cânon do Antigo Testamento?

Resposta: Os comentários mais antigos de bispos e estudiosos cristãos sobre o cânon do Antigo Testamento são de MELITO (170 d.C.), de ORÍGENES (254 d.C.), de CIRILO (350 d.C.), de ATANÁSIO (367 d.C.), de GREGÓRIO (380 d.C.), de EPIFÂNIO (403 d.C.), de JERÔNIMO (420 d.C.) e de AGOSTINHO (430 d.C.).  

20. Quanto ao cânon, ao lermos o que esses bispos e estudiosos escreveram, observa-se uma OSCILAÇÃO, por exemplo: MELITO e ATANÁSIO, em seus cânones, NÃO incluem o livro de ESTER, mas, quando fazem comentários, eles tratam o livro de ESTER como sendo "canônico"; um exemplo "inverso" seria o caso de LUTERO (1483-1546 d.C.) que, embora mencione ESTER no cânon, em comentários, Lutero "não" parece considerar ESTER como canônico. Veja mais detalhes sobre essa questão de OSCILAÇÃO, a seguir.

21. Para termos uma ideia "geral" do conteúdo desses cânones antigos, veja o resumo a seguir; para mais detalhes sobre cada cânon e sobre "oscilações", clique nos links respectivos.

(a) MELITO apresenta o "cânon menor", mas NÃO inclui ESTER, porém inclui SABEDORIA (veja detalhes);

(b) ORÍGENES apresenta o "cânon menor", mas inclui a CARTA DE JEREMIAS e MACABEUS (veja detalhes);

(c) CIRILO apresenta o "cânon menor", mas inclui a CARTA DE JEREMIAS e BARUQUE (veja detalhes);

(d) ATANÁSIO apresenta o "cânon menor", mas NÃO inclui ESTER, porém inclui a CARTA DE JEREMIAS e BARUQUE (veja detalhes);

(e) GREGÓRIO apresenta o "cânon menor", mas NÃO inclui ESTER (veja detalhes);

(f) EPIFÂNIO apresenta um "cânon misto", o qual inclui SABEDORIA, a CARTA DE JEREMIAS, BARUQUE e ECLESIÁSTICO (veja detalhes);

(g) JERÔNIMO apresenta o "cânon menor" (veja detalhes);

(h) AGOSTINHO apresenta o cânon Maior" (veja detalhes);

(i) LUTERO apresenta o cânon menor (veja detalhes).   

 

RABINOS E ESTUDIOSOS JUDEUS ANTIGOS 

22. Quanto a rabinos e estudiosos judeus, os comentários mais antigos sobre o cânon do Antigo Testamento se encontram em obras antigas, a saber, a obra de FLÁVIO JOSEFO (um historiador judeu antigo) e o TALMUD (estudo judaico antigo). O primeiro TALMUD foi montado, no terceiro século d.C., em Jerusalém (Talmud de Jerusalém) e o segundo TALMUD – o principal dos dois – foi iniciado no cativeiro babilônico e finalizado, no quinto século d.C. (Talmud Babilônico). (FONTE: Chabad.org; parágrafos oito e nove.).

23. JOSEFO, antigo historiador judeu, disse que eles – os judeus – tinham apenas 22 LIVROS dignos de crédito, sendo 5 de Moisés13 dos Profetas e 4 de "Hinos e Conselhos" e também disse que os livros produzidos DEPOIS de Artaxerxes NÃO tiveram o mesmo crédito, pois NÃO houve uma SUCESSÃO EXATA de profetas. (JOSEFO; CONTRA APION; Livro 1: número 38-41 [em espanhol/português], ou número 8, parte a [em inglês]) (BRUCE, 2011; pag. 32). 

24. Perceba que Josefo NÃO menciona os nomes dos 22 livros; outra questão é que o cânon de Josefo NÃO se encaixa em NENHUM cânon atual; veja por que não se encaixa, neste "link". (RODRIGUES, 2012; págs. 228, 229); 

25. ***Pergunta: Deus se calou durante aproximadamente 400 anos, entre a morte do profeta Malaquias e o nascimento de Jesus?

Resposta: Quanto a JOSEFO, perceba que ele NÃO disse que "não" havia mais profetas, MAS apenas falou sobre uma SUCESSÃO NÃO EXATA de profetas; é importante também observar que Josefo até relata que se afirmava que DEUS falava com o sumo sacerdote HIRCANO e que, em um dia de batalha contra ANTÍOCO Cizicênio, HIRCANO ouviu uma VOZ, dizendo que ele seria vitorioso. HIRCANO saiu para dar essa boa noticia ao POVO e os fatos mostraram que isso era verdade. (JOSEFO; ANTIGUIDADES, Livro 13, capítulo 18: número 542; parágrafo 3, parte c; e parágrafo 4 [em português], ou capítulo 10, parágrafo 3, parte b [em inglês]) (BRUCE, 2011; pág. 32).

26. No TALMUD, é dito: “Os rabinos ensinaram: Desde a morte dos últimos profetas, Ageu, Zacarias e MALAQUIAS, o Espírito Santo DEIXOU ISRAEL”, MAS, logo em seguida, o TALMUD diz que, em JERICÓ, uma VOZ celestial foi ouvida, a qual dizia que uma pessoa era digna da Presença Divina (Shechinah) e é dito que, em JÂMNIA aconteceu o mesmo: uma VOZ celestial foi ouvida e dizia que uma pessoa era digna da Presença Divina. (TALMUD babilônico; Seder: Nezikin; Tratado: Sanhedrin; capítulo I; folha 11a; parágrafo quarto e quinto. [em inglês]).

27. Em MACABEUS (deuterocanônico) é dito que eles (os macabeus) haviam passado um período em que NÃO havia nenhum profeta no meio deles (1Macabeus 9:27) e que eles estavam esperando um profeta fiel (1Macabeus 14:41), MAS perceba que o texto NÃO menciona QUANTO TEMPO eles (os macabeus) ficaram sem profeta; é importante também notar que em SALMOS também fala-se sobre um período sem profetas e em LAMENTAÇÕES fala sobre um período em que os profetas "não" tinham mais visões de Deus; veja: “nossos sinais não vemos mais, NÃO HÁ MAIS PROFETAS e nem entre nós se sabe até quando (SALMOS 74:9)." e "...não há LEI, além disso, os PROFETAS dela (de Jerusalém) NÃO encontram visões do Senhor (LAMENTAÇÕES 2:9).". 

28. Em TOBIAS 13:20-23 (deuterocanônico), há uma "profecia" sobre "Jerusalém" feita com "pedras preciosas"; essa "profecia" parece ser a mesma relatada em APOCALIPSE 21:18-21Em TOBIAS 12:17-22 (deuterocanônico), é dito que um anjo ordenou que tudo fosse escrito.

29. É importante também lembrar que o Novo Testamento registra a "profetisa" Ana, que já era IDOSA quando Jesus nasceu (Lucas 2:36-38) e que o Espírito Santo havia revelado a Simeão que ele (Simeão) não morreria, sem que antes visse o Cristo (Lucas 2:25,26).

 

***CONCLUSÃO: Diante disso, podemos dizer que (a) houve "mais de um período" em que "não" houve profetas entre os israelitas (1Macabeus 9:27)(Salmos 74:9), MAS "não" há como dizer "quanto tempo" tais períodos duraram, se meses, anos, décadas!

 

O CÂNON NO TALMUD 

30. ***Pergunta: O cânon judaico, como o conhecemos hoje, já estava fechado/concluído (definido) no primeiro século d.C.?

Resposta: Pelos registros históricos antigos, NÃO há como afirmar isso! Embora o TALMUD registre um cânon que, de forma "implícita", pode ser considerado igual ao "cânon judaico atual" (TALMUD; BARAITA BABA BATRA; 14a, 15a)(RODRIGUES, 2012; pág. 248), mesmo assim, NÃO há EXATIDÃO quanto a isso; veja que, embora o TALMUD registre esse "cânon", em outros comentários, o TALMUD registra uma "OSCILAÇÃO", na qual se discute se CANTARES, ECLESIASTES, PROVÉRBIOS e EZEQUIEL eram canônicos ou não; para mais informações sobre o "cânon no Talmud" e sobre essa OSCILAÇÃO, acesse este "link". 

31. Do lado cristão, Epifânio, bispo de Salamina (367-402 d.C.), diz que os JUDEUS disputavam a canonicidade de ECLESIÁSTICO e de SABEDORIA (ambos deuterocanônicos) (RODRIGUES, 2012; pág. 145). Veja mais detalhes sobre Epifânio neste "link".

 

32. ***Pergunta: Só havia "um único cânon" no tempo de Jesus, ou havia mais de um?

Resposta: De acordo com os registros históricos antigos, NÃO há como ter EXATIDÃO sobre isso! Veja a seguir e reflita:

(a) A Bíblia diz que os FARISEUS acreditavam na "ressurreição" e em "anjos", MAS os SADUCEUS não (Mateus 22:23 - Marcos 12:18-27 - Atos 23:8)! Será que o "cânon" deles era o mesmo, porém com interpretações diferentes? NÃO há como ter "exatidão"!

(b) No tempo de Jesus e dos apóstolos, havia judeus em Alexandria (Atos 6:9 - Atos 18:24), no Egito (Atos 2:10) e, obviamente, havia judeus na Judeia (Atos 2:9) e, como foi visto anteriormente, o Novo Testamento faz referências à Septuaginta! Como pode-se ter "certeza" de que, ao menos, os judeus de Alexandria (Egito) não aceitavam o "cânon Maior" da Septuaginta? NÃO há como ter "exatidão"!

(c) Se o próprio TALMUD registra OSCILAÇÃO, quanto a alguns livros, como se pode ter "certeza" de que só havia um único cânon no tempo de Jesus? NÃO há como ter "exatidão"!

(d) Os SAMARITANOS (João 4:7) acreditavam que se devia adorar no monte, enquanto os JUDEUS acreditavam que se devia adorar em Jerusalém (João 4:19-21)! O cânon deles seria o mesmo? Os estudiosos dizem que os SAMARITANOS rejeitavam todos os escritos do Antigo Testamento, exceto o Pentateuco, isto é, os Samaritanos tinham como Escrituras Sagradas “apenas” o Pentateuco, o qual é formado pelos cinco primeiros livros do Antigo Testamento, a saber: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio (FONTES: Comfort, 2001; A Origem da Bíblia; CPAD; pág. 79 // Miller e Huber, 2013; A Bíblia e Sua História; SBB; pág. 57). Reflexão: Uma coisa a refletir é que NÃO existe NENHUMA passagem, no Novo Testamento, mostrando Jesus "reprovando" os SAMARITANOS por motivo de "cânon"!

33. Existe um livro proveniente da VULGATA LATINA – NÃO da Septuaginta – chamado IV ESDRAS – o qual, na Bíblia protestante King James e na Bíblia NRSV (New Revised Standard Version) é chamado de II ESDRAS – datado de cerca de 100 d.C. (Comfort, 2001; pág. 92-94) – o qual fala sobre um "cânon"; o problema é que esse IV ESDRAS da Vulgata Latina é um livro que NÃO é aceito nem pela Igreja Católica nem pela Igreja Protestante! Nessa passagem, na Bíblia NRSV, diz que “94” livros foram escritos (IV Esdras 14:44) e que “24” livros se tornariam públicos (IV Esdras 14:45) e que os outros “70” livros seriam dados aos sábios do povo (IV Esdras 14:46), MAS a Bíblia King James diz "204 livros", isto é, há uma variante textual de "número"! (Bíblia NRSV) (Bíblia King James). 

ATENÇÃO: Quando se estuda os livros de Esdras, existe uma confusão de "nomenclatura"! Oriente-se por este link (Os Livros de Esdras).

 

***CONCLUSÃO: Diante disso, observa-se que com "A MAIORIA dos livros" NÃO há registro de que houve "OSCILAÇÃO" na canonização; MAS, conforme os registros históricos antigos, (a) do lado cristão, a OSCILAÇÃO ocorreu, basicamente, com o livro de ESTER e os DEUTEROCANÔNICOS; (b) já, do lado judaico, o OSCILAÇÃO ocorreu, basicamente, com CANTARES, ECLESIASTES, PROVÉRBIOS e EZEQUIEL! E segundo o bispo Epifânio, entre os judeus, havia OSCILAÇÃO com ECLESIÁSTICO e SABEDORIA (ambos deuterocanônicos)!

 

QUANTO À MAIORIA DOS LIVROS

34. ***Pergunta: Existe na Bíblia alguma passagem que mostre QUAIS são “todos” os escritos que a compõem?

Resposta: NÃO, mas há passagens que nos dão uma BOA NOÇÃO! Veja a seguir e REFLITA!

35. Na passagem em 2Timóteo 3:16, algumas traduções trazem (a) "TODA Escritura ("graphe") é divinamente inspirada e proveitosa...", enquanto outras traduções trazem (b) "TODA Escritura ("graphe") divinamente inspirada é proveitosa..."Pergunta: MAS qual das duas traduções estaria mais correta? Resposta: MESMO se, hipoteticamente, as duas traduções fossem possíveis, “mesmo assim”, a pergunta seria a mesma: "QUAL ESCRITURA seria essa, a qual o apóstolo Paulo se refere?"

36. Resposta: Perceba que, na passagem, em si, NÃO há NADA explícito que defina QUAL seria essa ESCRITURA; veja que, no versículo anterior, Paulo diz a Timóteo que, desde "criança", ele (Timóteo) conhecia as SAGRADAS LETRAS ("hiera gramata") (2Timóteo 3:15); entende-se que essas SAGRADAS LETRAS (ou ESCRITURA), mencionadas nessa passagem (2Timóteo 3:15,16), referem-se, "naturalmente", aos escritos de MOISÉS, dos PROFETAS e de SALMOS, os quais se referem ao Antigo Testamento (Lucas 24:44), não ao Novo Testamento.

37. Outro detalhe a se pensar é o seguinte: Segundo o estudo da Bíblia Pentecostal (CPAD) – nos prefácios de cada livro ,  a carta a 2Timóteo foi escrita, por volta de 67 d.C., mas há livros do Novo Testamento que só foram escritos “depois” dessa carta, a saber: João (de 80 a 95 d.C.), 1João (de 85 a 95 d.C.), 2João (de 85 a 95 d.C.), 3João (de 85 a 95 d.C.), Judas (de 70 a 80 d.C.), Apocalipse (cerca de 90 a 96 d.C.). Pergunta: MAS será que Paulo, nessa passagem (2Timóteo 3:15,16), também não se referia aos escritos do Novo Testamento que já estavam escritos em sua época? Resposta: Essa questão fica em aberto!

38. ***Pergunta: MAS há como saber, com EXATIDÃO, a quais escritos AS SAGRADAS LETRAS (ou ESCRITURA) se referem?

Resposta: A Bíblia e os registros históricos antigos (JOSEFO, EUSÉBIO, TALMUD, etc) nos dão uma BOA NOÇÃO, mas NÃO nos fornecem EXATIDÃO sobre isso! 

39. No Antigo Testamento, é dito que Moisés “escreveu” o que Deus havia dito (Êxodo 24:3,4) e depois Moisés “leu” o LIVRO DA ALIANÇA (“sefer ha-berit”) para o povo (Êxodo 24:7); é dito que o LIVRO DA LEI (“sefer ha-torah”) foi colocado ao lado da “arca da aliança” (Deuteronômio 31:26). O povo devia meditar no LIVRO DA LEI (Josué 1:8 – Josué 8:31 – Josué 23:6); 

40. Veja que, no tempo do rei Josias (2Reis 22:1-3), o LIVRO DA LEI (“sefer ha-torah”) foi encontrado no Templo, que estava em reparos (2Reis 22:8 – 2Reis 22:11); tal livro também é chamado de LIVRO DA ALIANÇA (“sefer ha-berit”), o qual Josias “leu” para o povo (2Reis 23:2). No tempo de Esdras, o LIVRO DA LEI DE MOISÉS (“sefer torat mosheh”) foi “lido” para o povo (Neemias 8:1-8), também chamado de LIVRO DE MOISÉS (“sefer mosheh”)(Neemias 13:1). O profeta Daniel disse que compreendeu, pelas ESCRITURAS (“sefarim”), conforme a Palavra de Deus (“dabar YHWH”) que veio ao profeta Jeremias (Daniel 9:2); 

41. No Novo Testamento, Jesus (Lucas 24:15), comentando sobre MOISÉS e os PROFETAS, explicou, ao longo de todas as ESCRITURAS (“graphais”), as coisas (que estavam escritas) sobre Ele mesmo (o Cristo) (Lucas 24:27 – Lucas 24:32); Jesus disse que deveriam se cumprir todas as coisas que foram “escritas” na LEI DE MOISÉS (“nomo mouseos”), nos PROFETAS (“profetais”) e nos SALMOS (“psalmois”), sobre Ele (o Cristo), e então puderam entender as ESCRITURAS (“graphas”) (Lucas 24:44,45); o LIVRO DE ISAÍAS também é mencionado no Novo Testamento (Lucas 3:4 – Lucas 4:17)( Atos 8:28).

42. Segundo o registro Bíblico, entende-se que as SAGRADAS LETRAS (ou ESCRITURA) (2Timóteo 3:15,16) se referem aos escritos de MOISÉS, dos PROFETAS e de SALMOS (Lucas 24:44), MAS perceba que a Bíblia "em si" NÃO nos dá "detalhes" sobre QUAIS seriam esses profetas; outra questão é a seguinte: Provérbios, Eclesiastes, Ester, Rute, Samuel e Reis estariam em qual grupo: (a) nos escritos de Moisés, (b) nos Profetas, ou (c) nos Salmos? Perceba que nos faltam "detalhes" e, por isso, NÃO há EXATIDÃO! Mas, por meio dos registros históricos antigos, os quais registram o cânon, sabemos que os escritos de MOISÉS se referem a Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio – sem OSCILAÇÃO – e também sabemos quais são os PROFETAS e outros livros sem OSCILAÇÃO, mas, mesmo assim, como visto anteriormente, há livros que apresentaram OSCILAÇÃO!

CONCLUSÃO: A Bíblia e os registros históricos antigos nos fornecem uma BOA NOÇÃO, mas NÃO nos dão uma EXATIDÃO quanto a isso.

        

O QUE PENSAR DA "OSCILAÇÃO"? 

43. Pergunta: A mensagem dos livros que apresentaram "oscilação" é INCOMPATÍVEL com os demais livros? A mensagem dos "deuterocanônicos" do Antigo Testamento (da Igreja Católica Apostólica Romana) é INCOMPATÍVEL com o cânon protestante?

Resposta: Devemos ler, COMPARAR e refletir! Devemos nos lembrar de que a Bíblia NÃO é composta "apenas" de MANDAMENTOS! Veja a seguir algumas comparações e REFLITA!

44. Existem passagens que EM SI "apenas" RELATAM algum acontecimento, SEM dizer que seja "mandamento", "instrução" ou "recomendação"! Por exemplo:

45. (a) Em II Macabeus, há um RELATO de Judas Macabeus (2Macabeus12:42) dizendo que, se não houvesse ressurreição, seria em vão orar pelos mortos (2Macabeus12:44) e os soldados fizeram expiação pelos mortos (2Macabeus12:46), (b) Baruque pediu a Deus que escutasse a oração de alguns mortos (Baruque 3:4); (c) em I Coríntios, há um RELATO de o apóstolo Paulo dizendo que, se não houvesse ressurreição, seria em vão se batizar pelos mortos, isto é, havia pessoas que se batizavam pelos mortos (1Coríntios 15:29), (d) em Apocalipse, é dito que os NAVEGANTES (Apocalipse 18:17) “disseram” aos santos, apóstolos e profetas (que já estavam mortos) que se alegrassem (Apocalipse 18:20-24) e (e) em Apocalipse, fala-se sobre servos de Deus mortos e que clamavam (oravam) a Deus, pedindo a Deus que viesse contra os habitantes da terra (que estavam vivos)(Apocalipse 6:9-11). Perceba que essas passagens EM SI "apenas" RELATAM acontecimentos, SEM afirmar que seja "mandamento", "instrução" ou "recomendação"! Veja outros exemplos! 

46. (a) Em Tobias, há um RELATO de uma "cura", por meio de "fel de peixe" (Tobias11:8) e (b) em João, há um RELATO de uma "cura" por meio de "saliva e terra" (João 9:1-7), (3) em 2Reis, há um RELATO de uma "cura", por meio de "sete mergulhos no rio" (2Reis 5:10-14), (4) em Atos, há um RELATO de "curas", por meio de "lenços e aventais" (Atos 19:12), (5) em Números, há um RELATO de "cura", por meio de uma "serpente de bronze" (Números 21:4-9) e (6) em 2Reis, há um RELATO de uma "ressurreição", por meio de "ossos humanos" (2Reis 13:21)!

47. (a) Em Tobias, há um RELATO de um "grande peixe" que mordeu o pé de Tobias (Tobias 6:3-4) e (b) em Jonas, há um RELATO de Jonas sendo engolido por um "grande peixe" (Jonas 1:17);

48. (a) Em II Macabeus, há um RELATO de um "fogo" que apareceu (2Macabeus 1:18-21 - 2Macabeus 2:1) e sobre um "líquido inflamável" (2Macabeus 1:21-36), (b) em Levítico, 2Crônicas, 1Reis e 2Reis, também há RELATOS de um "fogo de Deus" (Levítico 9:24 - 2Crônicas 7:1 - 1Reis 18:38 - 2Reis 1:10-14);

49. (a) Em II Macabeus, há RELATOS de "visões" (2Macabeus 2:21), de "manifestações divinas" (2Macabeus 3:24), de "aparições de dois jovens" que açoitaram Heliodoro (2Macabeus 3:25,26 - 2Macabeus 3:33,34), de uma "aparição de cavaleiros" que lutaram (2Macabeus 10:29-31)(2Macabeus 11:6-8) e de uma "visão" (2Macabeus 15:11) do profeta Jeremias entregando uma espada a Judas (2Macabeus 15:14-16), e (b) em 2Reis, há RELATOS de um "anjo" que matou (2Reis 19:35) e sobre "cavaleiros" com carros de fogo, que mataram (2Reis 6:15-17);

50. Em II Macabeus, há um RELATO do profeta Jeremias "intercedendo" (2Macabeus 15:14-16) e (b) em Jeremias, há uma passagem que diz: “...Mesmo se Moisés e Samuel ficassem diante de minha face, a minha alma não estaria com esse povo. Lance-os longe de minha face e que saiam. (Jeremias 15:1)” e (c) em Lucas, há uma passagem, a qual entende-se ser uma "parábola", ou algo similar, em que Jesus conta sobre um "rico" que morreu e estava "em tormentos" e que "intercedeu" em favor de seus irmãos que ainda estavam vivos (Lucas 16:19-31). Pergunta: Biblicamente falando, é possível "descartar" a possibilidade de que os mortos possam "interceder" por, pelo menos, alguns vivos?

51. Anjo mentindo

 

52. Erros geográficos e cronológicos

--------

 

 

---------

(d) (1) Em Mateus 14:25-31, há um RELATO de Jesus andando sobre a água – e Pedro também 

 

 O CÂNON DO NOVO TESTAMENTO

Reflexão: Imagine um grande mestre e seus seguidores! Não seria normal que alguns seguidores acabassem escrevendo sobre os ensinos de tal mestre? Assim é o Novo Testamento!

 

1. ***Pergunta: Mas como saber como o cânon do Novo Testamento se formou?

Resposta: A forma histórico-acadêmica de sabermos isso é observarmos (a) os documentos "antigos" sobre os bispos e estudiosos cristãos antigos, verificando o que eles disseram sobre o assunto!

2. Quanto à origem do CÂNON do Novo Testamento, ao observarmos as evidências históricas antigas, provenientes de bispos e estudiosos cristãos antigos, percebemos que, assim como acorreu com o Antigo Testamento, com o Novo Testamento também, isto é, com alguns livros (ou cartas), houve OSCILAÇÃO de aceitação canônica, MAS, com a MAIORIA dos livros (ou cartas), NÃO houve tal oscilação; veja a seguir.

 

BISPOS E ESTUDIOSOS CRISTÃOS ANTIGOS

2. Existem evidências antigas do CÂNON DO NOVO TESTAMENTO, provenientes de bispos e estudiosos cristãos antigos ("e outros"), a saber:

(a) MARCION (aprox. 95-165) apresenta em seu CÂNON apenas LUCAS e as CARTAS DE PAULO (exceto as cartas pastorais: I Timóteo, II Timóteo e Tito); embora LUCAS faça referências ao Antigo Testamento, Marcion NÃO aceitava o Antigo Testamento e, por isso, Marcion NÃO foi considerado como membro da igreja (COMFORT, 2001; págs. 105, 106) (veja detalhes);

(b) O CÂNON MURATORIANO (170 d.C.) traz Lucas, João, Atos, as 13 cartas de Paulo, Judas, I João, II João e Apocalipse; inclui o Apocalipse de Pedro e omite II Pedro (COMFORT, 2001; págs. 107, 108).(BRUCE, 2011; págs. 130, 143-152).

(c) ORÍGENES, um estudioso cristão (185-254 d.C.), em seu CÂNON, apresenta os Quatro Evangelhos, as Cartas de Paulo, Hebreus e provavelmente I Pedro e I João (LIMA, 2007; págs. 47-49). (veja detalhes

(d) EUSÉBIO (270-340 d.C.), em seu CÂNON, apresenta, na categoria de Livros de Forma Geral Aceitos: Os Quatro Evangelhos, Atos dos Apóstolos, Cartas de Paulo, I João e Pedro; na categoria de Livros que Alguns Aceitam: Apocalipse de João, Evangelho Segundo os Hebreus; na categoria de Livros Questionados: Tiago, Judas, II Pedro, II João, III João.(BRUCE, 2011; pág. 178-187) (veja detalhes)

(e) ATANÁSIO (296-373 d.C.) (RODRIGUES, 2012; pág. 132) apresenta o CÂNON do Novo Testamento igual ao que temos nas Bíblias católicas/protestantes (COMFORT, 2001; pág. 109)(BRUCE, 2011; pág. 188). (veja detalhes)

(f) JERÔNIMO (325-378 d.C.) apresenta o CÂNON do Novo Testamento igual ao que temos nas Bíblias católicas/protestantes (LIMA, 2007; págs. 65, 66). (veja detalhes)

(g) AGOSTINHO (354-430 d.C.) apresenta o CÂNON do Novo Testamento igual ao que temos nas Bíblias católicas/protestantes (LIMA, 2007; págs. 72, 73)(veja detalhes)

***CONCLUSÃO: Diante disso, observa-se que com "A MAIORIA dos livros" NÃO há registro de que houve "OSCILAÇÃO" na canonização; MAS, conforme os registros históricos antigos, houve OSCILAÇÃO de aceitação com os seguintes livros (ou cartas): II Pedro, II João, III João, Tiago, Judas, Hebreus e Apocalipse.

32. ***Pergunta: Mas havia também OSCILAÇÃO entre "os demais" bispos, estudiosos e leigos cristãos antigos?

Resposta: NÃO há como ter EXATIDÃO sobre isso, por falta de registros históricos.

O QUE PENSAR DA "OSCILAÇÃO"? 

33. ***Pergunta: A mensagem dos livros que apresentaram OSCILAÇÃO de aceitação II Pedro, II João, III João, Tiago, Judas, Hebreus e Apocalipse – é INCOMPATÍVEL com os demais livros?

Resposta: Devemos ler, COMPARAR e refletir!

34. ***Pergunta: Será que houve algum livro (ou carta) que acabou NÃO sendo incluso no CÂNON do Novo Testamento? 

Resposta: Essa questão fica em aberto, MAS reflita no seguinte: observe que o apóstolo Paulo escreveu (1) uma carta “anterior” à que temos como sendo a “primeira aos Coríntios” (1 Coríntios 5:9); também perceba que existiu (2) uma carta “anterior” à carta aos Efésios (Efésios 3:3-4) e existiu também (3) uma carta aos Laodicenses (Colossenses 4:16). Tais cartas se perderam.

35. ***Pergunta: Mas será que os bispos e estudiosos cristãos antigos "acertaram", ao formar e fechar (concluir) o CÂNON? 

Resposta: Essa questão fica em aberto, MAS reflita no seguinte: quanto mais é dado mais é cobrado (Lucas 12:48), ou seja, os bispos (Atos 20:28 - I Timóteo 3:1,2) e estudiosos (I Coríntios 12:8 - Romanos 12:7), obviamente, têm uma "grande responsabilidade" de "adquirir conhecimento" (I Timóteo 3:2) e de passar informação, a mais correta possível, em favor dos demais, servindo aos demais! Obviamente, o peso maior da responsabilidade recai sobre eles. MAS, independente disso, podemos ler e conferir o conteúdo (a mensagem) do Novo Testamento. 

36. Ao lermos o Novo Testamento, vemos qual era a "interpretação de Jesus" sobre a LEI relatada no Antigo Testamento, tais como, a questão do "matar com palavras"(Mateus 5:21,22) e a questão do "adulterar em pensamento" (Mateus 5:27,28); lemos que uma "grande parte" de mandamentos que eram do Antigo Testamento NÃO são "obrigatórios" para a igreja gentia (não israelita) (Atos 15:19,20 - Atos 15:28,29); lemos que o sacerdócio não é mais "levítico" e que houve MUDANÇA na LEI (Hebreus 7:11,12); lemos que alguns mandamentos foram repetidos, tais como, honrar pai e mãe (Efésios 6:2,3), etc. Também existe uma grande ÊNFASE no ensino do AMOR ao próximo, do "perdão", da "misericórdia".

 

O CÂNON DAS IGREJAS ORTODOXA, ETÍOPE E SÍRIA 

Os cânones do Antigo Testamento da igreja Ortodoxa e da igreja Etíope contêm os mesmos livros que o Antigo Testamento da Bíblia judaica/protestante atual (McDONALD, 2013; págs. 8,123); 

O cânon do Antigo Testamento da Igreja Ortodoxa Grega também contém os deuterocanônicos da Igreja Católica Apostólica Romana – Judite, Tobias, I Macabeus, II Macabeus, Sabedoria e Eclesiástico/Sirácida, Baruque – e também II Esdras, III Macabeus, IV Macabeus e Salmos 151, conforme o concílio de 1950 (McDONALD, 2013; págs. 123,124,125). 

O cânon do Antigo Testamento da Igreja Etíope também contém os deuterocanônicos da Igreja Católica Apostólica Romana – Judite, Tobias, I Macabeus, II Macabeus, Sabedoria e Eclesiástico/Sirácida – e também I Esdras (com o Apocalipse de Esdras), Pseudo-Josefo, Jubileus e I Enoque. (McDONALD, 2013; págs. 123,124,125).

 

 

 

 

 

 

 

******     ******     ******     ******     ******     ******     ******

A QUESTÃO DOS MANUSCRITOS

 

VARIAÇÃO TEXTUAL: DE PALAVRAS E DE SENTIDO

 

O NOVO TESTAMENTO

Reflexão: Imagine dois textos, um sendo cópia do outro, contendo "quase as mesmas palavras", mas que, por causa de umas três palavras diferentes, o sentido do texto copiado fica bem diferente do texto original! Neste caso, a variação textual de palavras será PEQUENA, mas a variação textual de sentido será GRANDE!

Agora imagine dois textos, um deles contendo palavras totalmente diferentes do outro texto e sendo até mais longo, porém tendo "quase" o mesmo sentido! Neste caso, a variação textual de palavras será GRANDE, porém a variação textual de sentido será PEQUENA!

3. Assim é o Novo Testamento: comparando os “manuscritos” do Novo Testamento, vemos que a variação textual de palavras é ENORME – umas trezentas mil variantes (PAROSCHI, 2012; pág. xiv) – porém a variação textual de sentido é PEQUENA, pois a “grande maioria” das variantes é de pouca ou nenhuma importância, sendo (a) variações na ordem das palavras em uma frase e (b) o uso de diferentes preposições, conjunções e advérbios (PAROSCHI, 2012; pág. xv); devido a essa “enorme variação textual” ser de PALAVRAS, "não" de SENTIDO, “nenhum” fundamento teológico ou doutrinário do Novo Testamento fica perdido (PAROSCHI, 2012; pág. 282 // AQUINO, 2015; pág. 44 // MILLER & HUBER, 2013 pág. 221 // OMANSON, 2010; pág. xii).

4. Há basicamente dois tipos de variação textual:

(a) Variante Acidental: Ocorre quando o copista, devido ao cansaço ou distração, repete ou pula alguma letra, sílaba, palavra, palavras ou até frases (PAROSCHI, 2012; pág. 109); ou, quando a cópia era feita por ditado, a pessoa que ditava poderia ditar algo errado, ou o copista poderia entender errado e copiar (PAROSCHI, 2012; pág. 110). No Novo Testamento, as variantes acidentais representam 95% dos casos de variantes (PAROSCHI, 2012; pág. 108).

(b) Variante Intencional: Ocorre quando o copista, intencionalmente, modifica o texto, basicamente, (a) a fim de fazer alguma "harmonização" de passagens paralelas, isto é, repetindo uma informação contida em outra passagem  (PAROSCHI, 2012; pág. 112), (b) para fazer alguma "correção gramatical" (PAROSCHI, 2012; pág. 113), (c) com o objetivo de trazer "clareza" ao texto, substituindo palavras ou expressões pouco conhecidas por outras mais conhecidas (PAROSCHI, 2012; pág. 113) e (d) também trazendo "clareza", substituindo um trecho de difícil interpretação por uma explicação (PAROSCHI, 2012; pág. 114). (OMANSON, 2010; pág. xviii).

5. De todos os milhares de manuscritos do Novo Testamento, são os mais antigos que apresentam uma variação textual maior (PAROSCHI, 2012; pág. 81); Entende-se que um dos motivos que contribuíram para o surgimento das variantes textuais acidentais do Novo Testamento foi a limitação financeira e a perseguição contra os cristãos e, devido a isso, muitos copistas não eram profissionais (PAROSCHI, 2012; pág. 11). Foi, a partir do quarto século, que os textos do Novo Testamento começaram a ficar mais padronizados (PAROSCHI, 2012; pág. 82).

Reflexão: A tarefa de copiar textos é fácil? É possível cometer erros de cópia, sem querer?

Fazer traduções de textos importantes é necessário? A tarefa de traduzir textos é fácil? É possível cometer erros de tradução, sem querer?

Imagine um texto importante em seu próprio idioma - em português, por exemplo - porém "difícil" de entender, por ser um texto "antigo" ou "regional", por exemplo! O que seria melhor: (a) reescrever esse texto, porém com palavras diferentes, que todos pudessem compreender facilmente, ou (b) reescrever com as mesmas palavras difíceis, mas colocando explicações no rodapé ou em outras páginas?    

Veja mais detalhes sobre "variação textual do Novo Testamento" neste "link". 

 

O ANTIGO TESTAMENTO

4. Quanto ao Antigo Testamento, os principais manuscritos encontrados são (a) os manuscritos MASSORÉTICOS (em hebraico), (b) os manuscritos do MAR MORTO (em hebraico), (c) o papiro NASH (em hebraico) e (d) e os manuscritos da SEPTUAGINTA (em grego), conforme veremos a seguir.

5. Os manuscritos MASSORÉTICOS “não” são tão antigos, porém os mais antigos são: (a) o códice Cairense (datado de 895 d.C.), (b) o códice Alepo (datado do início do século dez) e (c) o códice Leningrado (datado de 1008 d.C.) (Comfort, 2001; pág. 217,218)

6. Os manuscritos do MAR MORTO foram descobertos entre 1940 e 1950 (Comfort, 2001; pág. 214), tais como: (a) um rolo dos profetas menores (datado do segundo século d.C.), (b) o texto de Êxodo (datado de 250 a.C.), (c) o texto de Isaías (datado de 100 a.C.); esses manuscritos são bem antigos e serviram para confirmar a “exatidão” do texto massorético (Comfort, 2001; pág. 214,215,227);

7. O papiro NASH contém os dez mandamentos (datado entre 50 a.C. e 68 d.C.) (Comfort, 2001; pág. 228,222);

8. A SEPTUAGINTA foi feita em Alexandria; a comunidade judaica no Egito NÃO falava hebraico, mas sim GREGO (Comfort, 2001; pág. 230,231); na septuaginta, os escritos de JÓ e DANIEL possuem uma tradução “livre”, mas outros escritos possuem uma tradução “literal”; o escrito de JEREMIAS da Septuaginta “não” tem algumas partes, comparando com Jeremias do Texto Massorético (Comfort, 2001; pág. 231).

 

 

 

 

 

“Todos os escritos sagrados deixam as mãos impuras; também o Cântico dos Cânticos e Eclesiastes deixam as mãos impuras. RABINO JUDÁ DIZ: O Cântico dos Cânticos deixa as mãos impuras; Eclesiastes, em contrapartida, é assunto controvertido. RABINO JOSÉ DIZ: Eclesiastes não deixa as mãos impuras, mas, em contrapartida, há controvérsia sobre Cântico dos Cânticos. RABINO SIMEÃO DIZ: Ecçesiastes é uma das suavizações da escola de Shammai (que diz que esse livro não contamina as mãos) e uma das compilações da escola de Hillel [que diz que o livro contamina as mãos]. RABINO SIMEÃO BEM AZZAI DISSE: Recebi dos 72 anciãos, no dia em que instalaram o rabino ELEAZAR BEM AZARIAS [Jâmnia], que o Cântico dos Cânticos e Eclesiastes deixam as mãos impuras.” (Talmud Babilônico; Seder Tohorot; tratado Yadayim; Capítulo 3; Mishna 5)

  

******     ******     ******     ******     ******     ******     ******

1. ***Pergunta: O que significa a palavra "católico"?

Resposta: A palavra “católico” vem da palavra grega “katholikos” e tem o sentido de “universal”, “mundial”, “total”, “global”, "geral" (FONTE: Concordância de James Strong; no comentário do "Thayer's Greek Lexicon"). Embora a palavra “católico” não se encontre na Bíblia, a ideia se encontra, por exemplo, na passagem que diz: “preguem a boa mensagem (evangelho) a TODA criatura (Marcos 16:15)”.

 

1. ***Pergunta: Foi a "Igreja Católica" que escreveu os livros e cartas do Novo Testamento e que determinou o cânon da Bíblia cristã? 

Resposta: Devemos considerar que, na Bíblia, existe a ideia de "Igreja Aparente" e "Igreja Verdadeira". 

(a) “Igreja Aparente” é aquela que é identificada pelas pessoas – e por Deus também, obviamente – mas é composta por uma parte verdadeira (trigo) e por uma parte falsa (joio), a qual parece ser "igreja", mas não é (Mateus 13:24-30); essa parte falsa (joio) tem o nome escrito no rol de membros, mas não no Livro da Vida (Apocalipse 20:15), são pessoas que profetizam, expulsam demônios e fazem milagres em nome de Jesus, mas que, algum dia, o Filho do homem (Jesus Cristo) lhes dirá: "Eu não conheço vocês (Mateus 7:21-23)!” Hoje, a “Igreja Aparente” tem normalmente registro em cartório. Conclusão: Há pessoas que pensam que fazem parte da "Igreja Verdadeira", mas não fazem.

(b) "Igreja Verdadeira" é aquela que somente Deus consegue identificar, “sem equívocos”, e seus membros têm o nome escrito no Livro da Vida;

(c) Considerando que a palavra "católico" tem o sentido de "universal/mundial" e que a igreja tem uma missão universal/mundial de pregar a boa mensagem (Evangelho) a toda criatura (Marcos 16:15), "NESSE SENTIDO", podemos dizer que, obviamente, foram membros da "igreja católica/universal/mundial" que escreveram os livros – e cartas – do Novo Testamento e que determinaram o cânon da Bíblia cristã. Para mais detalhes sobre o termo "igreja" segundo a Bíblia, clique neste "link". 

 

5. ***Qual a diferença entre a Igreja Católica Apostólica Romana e as Igrejas Protestantes?

Resposta: TEORICAMENTE é isto: a Igreja Católica Apostólica Romana está fundamentada (a) na BÍBLIA, (b) na TRADIÇÃO e (c) no MAGISTÉRIO (Concílio Vaticano II; Dei Verbum; capítulo III, parágrafos 9,10)(AQUINO, 2015; pág. 14). As Igrejas Protestantes estão fundamentadas apenas na BÍBLIA (Confissão de Fé de Westminster; capítulo I; parágrafos 6,10). Reflexão: Digo TEORICAMENTE, porque, na prática, nem sempre as pessoas se baseiam pela teoria. 

 

******     ******     ******     ******     ******     ******     ****** 

 

FONTE BIBLIOGRÁFICA

 

*A Bíblia e Sua História; Stephen M. Miller e Robert V. Huber; SBB; 2013;

*A Sagrada Escritura; Felipe Aquino; Editora Cleofas; 2015.

*A Origem da Bíblia; Philip Wesley Comfort; Editora CPAD; 2001;

*A Origem da Bíblia; Um Guia para os Perplexos; Editora Paulus; 2013;

*Bíblia Apologética de Estudo; Editora ICP; 2000;

*Bíblia de Estudo Pentecostal; Editora CPAD; 2002;

*História Eclesiástica; Eusébio de Cesareia; Editora Paulus, 2014; 

*Manual de Defesa dos Livros Deuterocanônicos; Rafael Rodrigues; Clube dos Autores; 2012.

*O Cânon Bíblico; Alessandro Lima; Editora ComDeus; 2007.

*O Cânon das Escrituras; Frederick Fyvie Bruce; Editora Hagnos; 2011.

*Origem e Transmissão do Texto do Novo Testamento; Wilson Paroschi; SBB; 2012.

*O Texto do Antigo Testamento; Alexander Achilles Fischer; SBB; 2013.

*Sola Scriptura, A Doutrina Reformada das Escrituras; Paulo Roberto Batista Anglada; Editora knox; 2013.

*Variantes Textuais do Novo Testamento; Análise e Avaliação do Aparato Crítico de "O Novo Testamento Grego"; Roger L. Omanson; SBB; 2010.

 -----------------------------------------

 

 

 

Manuscritos da Bíblia

Centro Judaico em Jâmnia

Referências Antigas ao Novo Testamento

SEPTUAGINTA: ORIGEM E MANUSCRITOS

I CLEMENTE AOS CORÍNTIOS